Cuidados

Será que estamos ficando com a pele mais sensível? Saiba mais sobre essa condição*

By 06/30/2020 julho 7th, 2020 No Comments

De manchas vermelhas à coceira e incômodo no rosto, a pele sensível é uma condição que tem controle seguindo as orientações adequadas. *Mostraram que esse número tem aumentado mundialmente a cada ano.

Segundo a “International Forum for the Study of Itch” (IFSI), a pele sensível é “uma síndrome definida pela ocorrência de sensações desagradáveis em resposta a um estímulo que não deveria provocar reação. A síndrome pode afetar todas as partes do corpo, incluindo o rosto”.

Antes de tudo, cadastre-se no Clube Naos, são muitas vantagens para você. Sempre receba sua dose de conteúdo seguro de verdade sobre Skincare. Clique aqui.

A pele sensível pode se apresentar em forma de manchas vermelhas, coceira, ardor, sensação de repuxamento e, em casos mais extremos, até com pequenas feridas.

Mais de 60% das mulheres da América Latina relatam ter a pele sensível – e estudos feitos pelo laboratório dermatológico Bioderma em 2017 mostraram que esse número aumentado mundialmente a cada ano.

Pele Sensível no Mundo

FONTE: https://www.bioderma.pt/a-pele-sensivel-e-a-sua-incidencia

Quem tem a pele sensível?

Os estudos epidemiológicos realizados pela Bioderma revelaram que as peles claras e jovens, entre 15 e 34 anos, são as mais afetadas. No entanto, a síndrome da pele sensível pode afetar qualquer tipo de pele e não apenas essas. Diversos fatores, como utilização de produtos cosméticos inadequados e taxas hormonais também podem influenciar nisso.

Entre outras palavras, a pele sensível é uma condição que pode acontecer em todos os tipos de pele, a partir de algum estímulo, até mesmo a oleosa.

Mas, qual é a diferença entre pele sensível e pele sensibilizada?

Pessoas que tem pele sensível são aquelas que já possuem uma tendência a ter uma pele mais hiper-reativa independente de fatores internos ou externos – e isso é uma constante durante a vida.

“Já a pele sensibilizada é momentânea. São pessoas que passaram por algum procedimento ou receberam algum estímulo, como a mudança de temperatura por exemplo” – Dra. Náthalie Borelli, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Nessa fase específica, a cútis tende a ficar mais irritada e menos tolerante aos produtos utilizados.

Interferem na saúde da pele

Alguns fatores externos, como a não-remoção adequada da maquiagem e a poluição atmosférica, interferem na saúde na pele. Isso acontece porque o acúmulo desses agressores desequilibra o microbioma natural da pele, deixando-a mais exposta e propensa à irritação.

Já resíduos metabólicos e impurezas que são expelidos pelo próprio organismo são exemplos de fatores internos que também colaboram para a sensibilização da pele – daí, novamente, a importância de sua limpeza.

O que fazer? 

Antes de comprar produtos específicos ou fazer tratamentos caseiros, procure um dermatologista para que ele possa avaliar o seu quando e, se necessário, indicar opções para ameniza-lo. Naturalmente, você vai perceber quais são os agentes que agravam os sintomas. Normalmente, a estação do inverno, banhos quentes e produtos esfoliantes podem causar um desconforto maior.

Depois da avaliação dermatológica, os produtos específicos para a pele sensível costumam ser os mais indicados (esses geralmente não possuem ingredientes irritantes em sua composição), uma boa higienização da pele e utilizar protetor solar todos os dias também é preciso. É importante ressaltar que, no entanto, mesmo as peles sensibilizadas ou sensíveis precisam de tratamentos específicos. “É fundamental que elas sejam limpas, purificadas e hidratadas. Só assim garantimos que essa pele terá um melhor momento para sua renovação celular, absorvendo melhor os produtos que a gente deseja”, afirma a Náthalie Borelli.

A rosácea

Pele sensível não é sinônimo de rosácea, tá bem? Quem tem rosácea tem a pele sensível, mas a ordem inversa não é obrigatória. A rosácea é a uma doença vascular inflamatória e crônica que se manifesta no centro do rosto promovendo vermelhidão. A origem ainda é desconhecida, mas geralmente ela é mais frequente em mulheres acima dos 30 anos e pode ter relação genética.

Assim como a pele sensível, a rosácea também pode ter seu quadro agravado por fatores externos, como ingestão de bebidas alcoólicas ou exposição solar.

Aqui, o tratamento vai além do uso de produtos específicos para peles sensíveis e deve ser sempre acompanhado por um dermatologista – muitas vezes também é necessário o uso de fórmulas tópicas, tratamentos dermatológicos e acompanhamento nutricional.

 

 



Quer receber conteúdo seguro e divertido sobre skincare?



Leave a Reply